Monthly Archives: Maio 2010

Spybot – Search & Destroy 1.6.2

Spybot – Search & Destroy pode detectar e remover diferentes tipos de “programas espiões” de seu computador. Esses espiões são uma ameaça relativamente nova que os programas antivírus mais utilizados ainda não eliminam. Se você se deparar com novas barras de ferramentas em seu Internet Explorer (que você tem certeza de que não instalou), se seu navegador trava inexplicavelmente, ou ainda a página inicial do seu navegador mudou e/ou foi travada em outro endereço, sem que você saiba como, você provavelmente tem algum desses programas espiões instalado. Mas mesmo que você não veja os sintomas, pode tê-los rodando em seu computador, já que a cada dia surgem mais e mais desses programas com a capacidade de rastrear silenciosamente as suas atividades na internet. A finalidade desses programas, os “spywares”, é criar um perfil de marketing seu e transmití-lo para seus autores, que depois o venderão para agências de propaganda inescrupulosas. O Spybot-S&D é gratuito, então você não tem nada a perder em usá-lo para ver se alguma coisa invadiu seu computador.
O Spybot-S&D também pode limpar históricos, cookies e rastros de uso em geral, uma função interessante para quem compartilha seu computador com outros usuários e não quer que eles vejam em quê você esteve trabalhando.

Download: Spybot – Search & Destroy 1.6.2

WebM

Embora o HTML5 seja o standard que se está a tornar o motor da web de amanhã, a infraestrutura que permitia a reprodução de vídeo utilizada por esta tecnologia estava longe de ser consensual. Por um lado o H.264 leva vantagem por ser um codec mais utilizado pela indústria, mas está altamente protegido por patentes. Por outro lado o Ogg Theora leva vantagem por ser totalmente livre e open source, embora aparentemente ficando atrás a nível de compressão / qualidade.
A Google, dá um passo de gigante para resolver o impasse que existia e a partir de hoje libertou o formato WebM como open source. O WebM é baseada no codec VP8, do qual a Google se tornou proprietária ao comprar a empresa On2. A eficiência deste codec sempre foi muito elogiada pelo seu rácio compressão / qualidade, e foi defendido por alguns especialistas na área como superior ao próprio H.264. Na vertente áudio a Google socorreu-se do codec Ogg Vorbis, cuja a sua qualidade se tem mostrado unânime.
Mas a nova aposta da Google vai bem mais além disso. A partir de hoje suportará o codec nas versões de desenvolvimento do Chromium, estando disponível uma primeira versão do Chrome com esta tecnologia em 24 de Maio. Para dar o exemplo e demonstrar as potencialidades desta tecnologia de reprodução vídeo, a Google irá disponibilizar uma opção no YouTube para que os utilizadores deste possam usufruir do WebM, à semelhança do que já faz com o H.264.
A Mozilla, um dos principais defensores do Ogg Theora e crítico da elevada dose de patentes a proteger o H.264, abraçou esta iniciativa da Google e também já a partir de hoje, as versões de desenvolvimento do browser da raposa flamejante, irão suportar o mesmo codec. A Opera também se irá juntar ao apoio à adopção desta nova tecnologia, com o seu suporte, segundo os seus responsáveis, a “chegar brevemente”.
No anúncio da criação do projecto WebM, sabe-se que todo o código estará disponível na bastante permissiva licença BSD, para quem o quiser utilizar e consultar. A Google aproveitou para anunciar os seus principais parceiros na vertente de software e hardware. Neste aspecto, destacam-se as seguintes empresas:
Software
– Android
– Skype
– Adobe (que irá utilizar o codec para o seu flash player)
Hardware
– AMD
– ARM
– MIPS
– Marvell
– NVidia
– Qualcomm
– Texas Instruments
Parece-nos uma atitude muito positiva da parte da Google. Assim poderá claramente, pôr um ponto final à guerra que andava a ser travada no último ano por parte desta, da Apple e Microsoft em favor do H.264 e a Mozilla e a Opera como defensores do Ogg Theora.
Será que este novo anúncio vem de alguma forma isolar a Apple e a Microsoft, não lhes dando alternativa? Ou a “inflexibilidade” que já marcou algumas das decisões das duas empresas falará mais alto?
Só os próximos tempos dirão se estas empresas irão abraçar esta nova tecnologia, com bastante vantagens. Mas claramente agora são três contra dois, colocando mais pressão nos dois gigantes da indústria informática. Todos nós devemos saudar o facto de alguns dos principais responsáveis pela inovação que hoje em dia existe na navegação web, estarem de acordo neste aspecto. Pode assim o HML5 dar,  finalmente, os passos que necessita para revolucionar a forma como navegamos e vemos a Web. WebM Project
fonte: pplware 

Vem aí o WiGig – Redes sem fios a 7 Gbps

WiGig
A tecnologia sem fios garantirá débitos de transmissão 10x superiores à norma 802.11n
Os grupos Wi-Fi Alliance e Wireless Gigabit Alliance (também conhecido como WiGig Alliance), anunciaram esta segunda-feira um acordo de cooperação no sentido de fornecer comunicações wireless  ”multi-gigabit” (alto débito) em rede wireless. Este novo padrão, funcionará na frequência dos 60 Ghz, que não é licenciada na maior parte do mundo. O objectivo deste novo standard é dotar as redes sem fios, de grande taxas de débito em áreas relativamente reduzidas.
O grupo WiGig Alliance já tinha anunciado as especificações em Dezembro de 2009, onde referiu que esta nova norma permitirá velocidades de transmissão 10x superiores, comparando com as normas actuais (802.11n – 600 Mbps). No entanto, a barreira dos 6 Gbps (10x 600 Mbps) foi ultrapassada tendo sido atingido taxas de transmissão na ordem dos 7 Gbps (aproximadamente 900 MB/s, quase 1 GB por segundo). No entanto, as taxas anunciadas representam normalmente valores máximos teóricos para cenários perfeitos, sem interferências ou outros factores que possam influenciar o funcionamento da rede.
Esta nova tecnologia será direccionada para a interligação de equipamentos domésticos como por exemplo TV, computadores, DVD/Blu-Ray, consolas de jogos, projectores, telemóveis, etc.
Com uma taxa na ordem dos 7Gbps será possível, por exemplo, reproduzir um vídeo em Blu-Ray através da rede sem fios para a TV, sem qualquer latência.
A tecnologia WiGig não pretende substituir a tecnologia Wi-Fi actual, mas sim complementá-la.
Como já referimos em outros artigos, as redes Wi-Fi tradicionais funcionam nas bandas dos 2.4 e 5 Ghz (ver aqui). Este novo standard irá no entanto aproveitar a frequência dos 60 Ghz e será retro compatível com a norma 802.11n segundo referiu Edgar Figueroa (CEO Wi-Fi Alliance).
A WiGig Alliance anunciou ainda que com a introdução da técnica de processamento de sinal “beam-forming”, foi possível ter um alcance superior a 10 metros, como estava definido inicialmente.
Ainda não existem informações sobre o lançamento de produtos (provavelmente em 2011) que suportem esta nova tecnologia, no entanto a WiGig garante que a tecnologia é estável e está disponível.
A WiGig despertou o interesse a algumas empresas notáveis na área do networking e semi-condutores, contando já com a colaboração da Intel, Dell, Nvidia, LG, Nokia, Samsung, Toshiba, Microsoft, Cisco, AMD, Atheros, Broadcom, NEC, entre outras.

Fonte: Peopleware 

GoogleR2

Recentemente recebi no meu computador uma mensagem de erro a dizer “Error:Google R2”.
Além de não saber o que é o Google R2, também não sei como resolver isto.
Estou a tentar descobrir como resolver e assim que possivel irei editar este post para inserir a solução…

Até breve…

Dancefire – Star

Dancefire – star (Dj gio radio edit)

SpeedLord – Accelerator P2P Universal

logo_SpeedLord_p2p_accelerator SpeedLord suporta todos os clientes p2p mais populares: é um módulo de optimização de descarga poderosa para Limewire, Shareaza, BearShare, Vuze, eMule, Bittorrent, BitComet, uTorrent, FrostWire, Ares, e muito mais.

O aplicativo é muito leve, o design muito simples e fácil de usar – basicamente basta instalá-lo e depois executá-lo. Funciona com qualquer programa de partilha de ficheiros que você tenha instalado para melhorar o desempenho geral.

Por que usar SpeedLord?

  • Ele irá maximizar a sua experiência de download – SpeedLord pode empurrar a velocidade de download até 200% e emprega várias características descritas no final desta apresentação.
  • É extremamente conveniente – no caso de você não pode fazer a sua mente e ficar a um cliente p2p particular ou é apenas entediado com seu atual e quer mudar para uma aplicação diferente, você não precisa fazer o mesmo com seu download acelerador, uma vez que é compatível com qualquer um dos clientes que você pode escolher.
  • É fácil de usar – de modo fácil, mesmo a 6 anos de idade poderia segurá-lo!
  • É GRÁTIS! – Isso mesmo, SpeedLord é freeware da empresa P2PHOOD.
  • É totalmente limpo! – seguro para uso e não apresenta perigo de malware!

speedlord-screenshot--300x266

Detalhes:
Compatibilidade com todos os principais clientes P2P BitTorrent;

Download com reforço velocidade até 200%;

Determina a largura de banda disponível para a sua conexão;
 
Reinicia downloads interrompidos automaticamente;
 
Executa automaticamente verificação check-up para evitar downloads inválidos;
 
Corrige problemas de conexões no Windows XP;

Actua como optimizador de configurações TCP/IP;

Abre portas correctas do router local;

Utiliza o ícone na bandeja do sistema
 

Guarda  e carrega a configuração automática de última utilização no sistema;
 
Oferece suporte para todas as plataformas MS Windows, incluindo o Win7

Download: SpeedLord –Universal P2P Accelerator